LOTEADOR: Não contrate um engenheiro para desenvolver o projeto urbanístico do seu loteamento

Descubra qual o profissional está apto a desenvolver um bom projeto para o seu loteamento.

Quer desenvolver um projeto de loteamento, mas não sabe se chama um engenheiro ou arquiteto para projetá-lo?  Quais as vantagens e desvantagens na contratação de cada profissional?

O benefício de ter esta resposta antes de escolher qual profissional irá contratar, é o de fazer a escolha certa. Aquela que te trará a melhor relação custo x benefício.

Leia este artigo até o final que você terá a resposta.

 

O que faz um arquiteto? O que faz um engenheiro?

Para responder a esta pergunta temos que analisar qual a formação de cada um. O que o engenheiro e o arquiteto apreendem na faculdade que os habilita a desenvolver projeto de loteamento, seja urbano ou rural, residencial, comercial ou industrial.

O arquiteto urbanista é um profissional apto a projetar espaços. Sua função é entender como se desenvolve cada espaço e a relação deste com as pessoas que o utilizarão. A busca do arquiteto é em achar a melhor alternativa de uso e ocupação de determinada área, levando em consideração as necessidades dos futuros usuários.

O engenheiro agrimensor é um profissional apto à trabalhar com a medição e análise de dados geográficos e topográficos para a elaboração de levantamentos. Seus conhecimentos lhe permitem orientar o traçado de projetos de loteamento e de estradas, assim como a retificação e georreferenciamento de imóveis rurais e urbanos.

O engenheiro agrimensor assume funções como: fazer o levantamento topográfico da área a ser estudada, fazer a planta de retificação de uma matricula ou o projeto geométrico e de terraplenagem do loteamento.

Já o engenheiro civil projeta, gerencia e executa obras. Ele acompanha todas as etapas de uma construção. E os demais engenheiros, dentro de cada especialidade, são os responsáveis pelos projetos das redes de instalação elétrica, drenagem, abastecimento de água, rede de esgoto, pavimentação.

Além do engenheiro ambiental, responsável pelo licenciamento ambiental da área. Sua função é delimitar a área de preservação ambiental, seja por conter rios e lagos ou por ter vegetação que deve ser preservada.

 

Projeto de loteamento com arquiteto ou engenheiro, qual profissional mais habilitado?

Antes de mais nada, vamos deixar claro que ambos os profissionais são de fundamental importância para o desenvolvimento de um projeto completo de loteamento. Isto porque o projeto e aprovação de um loteamento envolvem várias disciplinas e projetos complementares, o que impossibilita que apenas um tipo de profissional dê conta de todo o recado.

A função do arquiteto é planejar o espaço de uma maneira conceitual, entendendo as necessidades práticas e cotidianas das pessoas e transpondo-as para o projeto. Por esta razão o projeto de loteamento com arquiteto é o mais indicado.

Enquanto a função do engenheiro é viabilizar o projeto de loteamento através dos projetos complementares necessários a sua implantação, como: projeto geométrico, terraplenagem, drenagem, água, esgoto, pavimentação, elétrica.

 

Existe alguma lei que regulamenta qual profissional pode fazer projetos de loteamento?

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU), dentro de suas atribuições legais, recebidas através da Lei federal nº 12.378 / 2010, regulamenta o exercício da Arquitetura e Urbanismo.

Através da Resolução n° 51 / 2013, que pode ser acessado clicando aqui, http://www.caubr.gov.br/wp-content/uploads/2012/07/RES51-2013ATRIB-PRIVATIVAS20-RPO-1.pdf, o CAU definiu as atribuições da profissão de arquiteto e urbanista, que só podem ser exercidas por estes profissionais.

O CAU define como atribuição exclusiva de arquitetos o projeto urbanístico, que é definido como “atividade técnica de criação, pela qual é concebida uma intervenção no espaço urbano, podendo aplicar-se tanto ao todo como a parte do território – projeto de loteamento, projeto de regularização fundiária, projeto de sistema viário e de acessibilidade urbana.

 

Não se trata de uma medida corporativa, de restrição de mercado, mas de defesa da sociedade. Essas atividades, exercidas sem formação, oferecem riscos às pessoas e ao patrimônio”, diz Antonio Francisco de Oliveira, coordenador da Comissão de Exercício Profissional do CAU/BR.

 

Equipe multidisciplinar

O melhor a fazer é contratar um equipe multidisciplinar, composta por arquitetos e engenheiros.

Cabe ao arquiteto a função de desenvolver o projeto urbanístico do loteamento, enquanto cabe aos engenheiros o desenvolvimento dos projetos complementares.  Ao arquiteto cabe também a função de coordenar esta equipe, de modo que todos estejam alinhados ao mesmo objetivo.

 

Tudo tem início em um bom Estudo de Viabilidade Urbanística, descubra a importância deste estudo neste outro Post: QUAL A IMPORTÂNCIA DE TER UM ESTUDO DE VIABILIDADE DE UMA GLEBA ANTES DE FECHAR UM CONTRATO?

 

Até a próximo post,

Tatiana e Juliana

.