Elementos para a concepção de cruzamentos seguros

As ruas representam mais de 80% do espaço público nas cidades. Esta percentagem foi calculada pela NACTO, National Association of City Transportation Officials.

A Associação reúne mais de 20 cidades dos Estados Unidos. Sua função é compartilhar as melhores práticas de design urbano, tanto para o tráfego de veículos como para pedestres e ciclistas.

Sua mais recente publicação “Urban Street Design Guide”, ou em tradução livre “O Guia do Desenho Urbano de Ruas”, tem como objetivo oferecer orientações para o desenho urbano do sistema viário.

Estas orientações servem tanto para auxiliar o poder público a fazer correções que sejam necessárias, em locais que apresentam problemas, como alto índice de acidentes de trânsito, por exemplo; como também ao setor privado, das loteadoras e incorporadoras, a melhorar os projetos de loteamento ou intervenções no sistema viário que sejam feitas por causa do projeto.

Este guia sugere várias propostas para projetar paradas de carro, cruzamentos de veículos e de pedestres, todos de forma mais segura, além de indicadores para avaliar o desempenho de uma rua.

Faixas de Pedestres

De acordo com o guia: Não existir faixas de pedestres demarcadas é um desincentivo para caminhadas, e não é uma medida de segurança válida.

Posto isto, o ideal é fazer com que as faixas de pedestres ofereçam a segurança necessária à travessia.

Devemos ter em mente que uma rua segura para caminhar depende de vários fatores, incluindo a velocidade de circulação dos veículos, a quantidade de faixas de pedestres, a iluminação pública e o estado da calçada.

Também influencia a decisão se deve ou não executar uma faixa, a demanda projetada de circulação de pedestres e os pontos de interesse no entorno. Pensar nos percursos que serão percorridos é fundamental para determinar o traçado e a localização das faixas.

Cruzamentos

  1. Cruzamento convencional

Problema do cruzamento: como você pode ver na imagem abaixo, as faixas de pedestres tem pinturas estreitas; o rebaixo da calçada está desalinhado com a faixa de pedestres; os cruzamentos são muito distantes um dos outros.

cruzamentos seguros1

Solução para o cruzamento: faixas de perdestes pintadas de forma a melhor identifica-las visualmente; o cruzamento tem menor distância, reduzindo o percurso do pedestre e diminuindo o conflito com os veículos; melhor visibilidade tanto para pedestres quanto para motoristas; aumento da calçada próximo ao cruzamento, ocupando parte do que seria a faixa de estacionamento de veículos, aumentando o conforto da travessia.

conventional-crosswalks-2

  1. Cruzamento no meio da quadra

Problema do cruzamento: em algumas avenidas ou ruas de maior movimento, onde existam pontos turísticos ou serviços e comércios que estão em lados opostos da rua, há mais conflitos para o cruzamento de pedestres.

Nestas situações é aconselhável identificar os pontos mais atrativos e implantar uma faixa de pedestre cortando o meio da quadra. Favorecer o cruzamento de pedestres é melhor do que ignorá-lo.midblock-crosswalks-1

Além da implantação da faixa de pedestres no meio da quadra, outras medidas de segurança podem ser:

Solução para o cruzamento: definir uma área de detenção para os motoristas entre 0,50m a 1,50m, antes da travessia; fazer uma travessia elevada (lombo-faixa); sinalizar adequadamente a junção para incentivar os motoristas a reduzir a velocidade.

Aliás, a travessia elevada também pode ser muito bem empregada perto de escolas, hospitais e parques, que tem um fluxo de pedestres elevado, além de pessoas com mobilidade reduzida, crianças, idosos.

midblock-crosswalks-2

 

Estas são algumas das sugestões disponíveis no site da NACTO.

Quem tiver interesse em ver outras sugestões, dê uma olhada no site.

 

Até o próximo post,

Tatiana e Juliana

.